Tiros em Columbine

Posted by in Trópico de Câncer

Isabel teve um final de ano mais infernal que o meu. Agora está indo para Londres. O que isso tinha a ver com a minha morte? Fui a Gumercindo em busca de radicalização. Na sala de espera, leio artigo de Diogo Mainardi na Veja de novembro, meu cabelo está ficando parecido com o dele. (Vou telefonar para Isabel e nos livrar dos ressentimentos, viajantes merecem redenção!) Enrico? Reconheço a voz de longe. Hoje ela não veio comigo porque voltou a trabalhar. Te amo tanto, Tata…

Salve, Dr.! Oi, Enrico, como estás? (O que era mesmo que ela pedira para eu perguntar?) Passei muito bem a semana, voltei a comer e estou trabalhando pelo menos duas horas por dia. Minha saliva melhora a cada dia, mas o ouvido está uma porcaria. (Ah, sim, o nariz!) Estou cuspindo uma secreção da mesma cor da que sai do meu ouvido. Ela também vaza pelo nariz. Gumercindo começa a usar um aparelho para sugar o líquido que passou a semana toda caminhando lá por dentro. É gostoso como cócega. Depois ele raspa o tímpano com outro instrumento e dói um pouco, sai bastante cera branca, não sei bem nem como descrevê-la. Gumercindo é degolador gentil. Está doendo? Ele conta que sofreu um acidente de automóvel. Quão importante é evoluir!

Parto com autorização para tomar um antibiótico capaz de acabar com gonorréia. Deslizo de carro pela cidade. Com vidros abertos, o vento refresca e amplia o movimento. A moça na parada de ônibus, o senhor olhando para o céu na esquina, olha a casa da Isabel ali… Volto decidido a um dia telefonar, mas quero dormir logo. Eu e Fio Fino jantamos na casa do Costello ontem. Churrasquinho, cerveja e tiros em Columbine. Tata me ligou para lembrar que estava tarde por volta das 2h. Aos poucos, o cochilo vem… Não quero pensar em morte.

BLOGGER

Trópico de Câncer
Comentários do post 22806185

oi, cara percebi que estás bem, fico feliz.

fernando | 09-03-2004 00:05:21

Gostei da mensagem do Marlon. Por falar nisso, a gente sempre esquece na hora de resolver as coisas… perguntaste pra equipe médica se deves congelar embriões para o futuro? Pra nós restou o arrastado processo de adoção, embora os médicos discutam se foi ou não a quimio que causou infertilidade. Tentei te ligar pra falar disso e não consegui, já que surgiu a história de filho por aqui… Beijos. Adorei visitar o Baguete. Claude.

Claude | 08-03-2004 23:30:49

Dear Enrico, que prazer te encontrar no blog. Estavas meio distante, sem novidades, acho que sem tristezas e emõções fortes para contar. Gostei de ler o que escreveste. Ao contrário dos comentários abaixo, que continuam falando em força, vamos lá, não desiste…acho que estas no caminho da cura e dá pra ver pelo que escreveste! Já é parte de um livro. Por vezes tive que ler mais de uma vez cada frase ou paragrafo para tentar entender o que estavas pensando/dizendo. Acho que este espaço também deve ter um pouco de literatura, pois o que queremos é estar perto de ti e te encontrar nas entrelinhas pra poder te dizer o quanto te amamos. Com muito orgulho, beijos da Zelda

Zelda | 08-03-2004 23:01:35

QUERIDO MANO Voltei.Depois de 30 dias sem ler o blog(férias e na volta sem internet),fiquei emocionada. Tantas coisas aconteceram, tantas mensagens recebidas, momentos dificeis, as vitórias e as alegrias compartilhadas. É difícil conter as lágrimas. Quanto às 24 horas que passamos em Quatro Ilhas foram ótimas, fiquei tão feliz de estarmos todos juntos e alegres. Lembra, como rimos! E olha, é isso que deve ficar, os momentos alegres, a dor a vontade de voltar deves esquecer. Já pensou se não tivesses ido como seria? Fiquei feliz de encontrar o tio J e a tia N e acho que o ano que vem devemos ir para os dois paraísos Garopaba e Quatro Ilhas. Gosto das duas, não dá para comparar são diferentes. Quanto a máscara, foi chocante ao vê-la, mas me orgulhei muito de teres vencido com garra a I etapa do tratamento. As manhas e as dificuldades já foram esquecidas e serviram para que nos unissemos mais ainda. Agora tem uma coisinha não gosto que fales em morte.Risque essa palavrinha do seu vocabulário.Please! Fale VIDA.

ZELE | 08-03-2004 20:00:54

Só posso concordar com o Marlon … Nada se compara à vivência de saborear a existência de um serzinho, continuidade de nós ! Essa alegria e brilho nos olhos que o Marlon viu na menininha eu sinto a cada dia que passa. Eles verdadeiramente dão um sentido para tudo, com suas perguntinhas e comentários que nos fazem rir e muitas vezes ajudam a reinventar a vida e a nós mesmos. Estava bastante apreensiva com a tua agonia de garganta e ouvido. Assim como tu, embarquei nessa tua euforia pré-férias. Que bom que melhorou um pouco. Ao menos algumas festinhas já deu para fazer!! Te lembra de todas as coisas boas que esse infortúnio te trouxe, ou te forçou/ajudou a enxergar. Te fortifica para essa nova etapa e bola para frente. Não esqueças que tu és uma pessoa super privilegiada e tens amigos como poucos. FÉ e vencerás, com certeza. Muitos beijos, Bea

Bea | Email | 08-03-2004 19:58:18

é preciso enfrentar e ter fé! Depois que passar esse temporal, recomendo: tenha um filho. É a melhor coisa do mundo. Força! Não pense coisas negativas, pois elas são o próprio mal. Entre numa igreja, concentre-se em poderes de luz e de cura, faça isso todos os dias, com muita fé. PS: Não liga pra essa história de cabelo (quem recomenda é um careca!, que já foi cabeludo)

marlon | Email | 08-03-2004 14:00:59

Ô véio, li isso no encarte do primeito Cd do Soufly e lembrei de você. Sem frescuras, senão fico mal com o mulheril…”A esperança é quando a dor presente, nos faz tentar outra vez” Chico Science. abçs

Gustavo de novo | 07-03-2004 23:39:36

Enrico, deixo te contar uma historia. Tava esses dias tomando uma cervejas com um amigo. Bem, você sabe, barzinho, algazarra, algumas meninas para olhar – somente olhar, pois ainda estou numa ressaca sentimental punk -etc. Num determinado momento chegou um senhor com sua filha, de uns três anos. Velho que loucura! v senhor comprou para a menininha um chocolate e eu nunca vi tamanho brilho nos olhos de alguém como vi nos olhinhos da guria. Dava para ver o olho brilhando, e a mãozinhas encrespadas e ansiosas. É disso que quero falar. Sobre as visões que temos todos os dias e, por qualquer motivo imbecil não damos a devida importância. Você tem um olho bom para esses pequenos milhagres cotidianos. Teu espírito tá a mil, broder. E, como disse a pessoa acima, cada dia TEM DE SER UMA AVENTURA, descoberta nesses pequenos momentos. Abraços e vida longa. Ah! anota aí, meu blog agora é outro:http://hellskitchen.zip.net

Gustavo | Homepage | 07-03-2004 17:44:56

Meu amigo. A morte nos chega um dia, pra cada um do seu jeito. Parece que quando nos deparamos com esses desafios (que são a própria vida exigindo respostas), tendemos a ficar dando muito espaço pra pensar nela como uma ameaça. Milhares de pessoas partem desta mundo material e concreto sem ter tido cancer, por muitos outros motivos. Muitos sem motivo que nos pareça compreensível. Pensa na vida! Faz de cada dia uma aventura (tu sabes fazer isso!). E procura te preparar pras próximas etapas do tratamento. O espetáculo não acabou, mas a platéia aqui não deixou de aplaudir desde o princípio. Vais sair dessa vitorioso, com certeza. Beijos. Claude.

Claude | Email | 07-03-2004 11:33:41