Memória tombada

Posted by in Trópico de Câncer

iapiTava sentado, silencioso e observador desde sábado. Não fiz absolutamente nada até às 17h de ontem, quando resolvi tomar uma atitude. Fui pro único bairro da cidade onde as praças invadem as casas, árvores vivem no meio das ruas e cadeiras de praia ainda descansam corpos nas varandas. O turismo foi responsabilidade do Figo, porque quando era bem pequeno passou aquela vida ali. Hoje vive outra distante dois ou três quilômetros do IAPI. E eu não tinha uma máquina para fotografar tantas imagens. De um beco a outro, assisti ele indo para o colégio, depois para a casa da namorada, em seguida para o parque Alim Pedro. Aí encontramos o seu José, que já foi a cara do Chico Buarque, sentadinho na cadeira de praia, de costas para a porta da sua casa, olhando para o nada e para rua. Comprei dele meu primeiro carro, um Passar 75 logo apelidado de Azulejo, alguns de vocês conheceram bem. Pois o vizinho do Figo ainda lembrava de mim e deu a ele notícias sobre todos os amigos da infância. A memória da gente deveria ser tombada como patrimônio histórico. Minha mãe, por exemplo, entre outras coisas, transplantou um sopro de vida do fígado de um doador desconhecido. O que se passou com a mãe verdadeira dela eu queria muito saber. Minha vó adotiva chora quando percebe que quem está na frente dela somos nós. Meu vô adotivo se foi como um santo depois de purgar pecados mortais. Não há registro dessas memórias, infelizmente. Espero estar tombando a minha aqui no blog, pensei, enquanto o carro descia pelo barranco de pedra que divisa o bairro com o resto da cidade.

BLOGGER

Trópico de Câncer
Comentários do post 22926377

Minhas primeiras vindas pra Porto Alegre eram pra casa de uma tia que morou anos no IAPI. Adoro aquele lugar…Legal ver que há outras memórias, tantas, … ClaudeClaude | 10-03-2004 19:59:13

Isso meu velho! Observe as coisas com esses seus olhos furiosos e poéticos. Tua alma tá a mil mesmo. Enxergue o que não conseguimos. E escreva, escreva, escreva…abçs e vida longaGustavo | Homepage | 10-03-2004 00:21:47

É meu caro Enrico. Cheguei a uma conclusão: teu próximo projeto deveria ser um livro. Tem tanta coisa medíocre publicada que, com certeza a tua qualidade literária geraria uma excelente obra. Sobre o Alim Pedro: eu passei toda minha adolescência desejando morar em Porto Alegre. Acabei vindo pra cá só depois dos 30. Mas eu tenho saudade de uma época que praticamente não vivi porque era muito jovem e principalmente porque não morava aqui. Eu tenho uma grande saudade “imaginária” dos anos 70 e quando, trodo final de semana levo meu filho pra jogar bola no Alim Pedro, consigo sentir um pouco a pureza daquele tempo. O tempo, no IAPI, parece que anda mais devagar do que no resto da cidade e me faz lembrar/imaginar uma outra época que não vivi, mas que acho que foi mágica.Divino | Email | 09-03-2004 22:56:45

Malu, para escrever, leia, leia, leia, leia, escreva, escreva, escreva… só sei este jeito. foi assim q aprendi para a lida e agora para isso. enricoenrico | 09-03-2004 22:41:50

queridos manos. Agora que voltei estou a mil. Já que estamos falando em infância e de saudade queria contar uma novidade a voces. Recebi de presente da querida tia de Livramento um relógio de parede que era de nossos queridos avós. Eu sempre adorei esse relógio, ficava sentada no colo da vó dinda, esperando que ele desse suas badaladas. Pois, bem o relógio está aqui e na parede de minha sala. O clozinho e o geisel o instalaram, mas fizeram alguma coisa que só funciona se der um empurranzinho no pêndulo. Bem, o clozinho fez isso e imaginem minha alegria quando ele bateu 10 vezes fiquei táo feliz que vim correndo escrever. Vale informar que o relógio está atrasado. Venham admira-lo. Ficou lindo! Boa noite. amo voces. Ah, zelda estou com saudades vamos combinar alguma coisa, certo?zele | 09-03-2004 22:24:11

Enrico, não tenho me manifestado mas não esqueci você e nem de orar pela tua saúde. Hoje tive um dia meio chato, com distúrbios gastro-intestinais (virose) que me deram um dia de RAINHA, passei o dia no trono. Perto do teu problema o meu chega a ser piada, não? Mas com tudo o que já tomei acho que o fim do meu reinado está próximo…. Adorei o texto sobre o IAPI sobretudo porque nos anos 78 e 79 morei naquele bairro e guardo boas lembranças. Gosto muito dos teus textos e adoraria saber escrever como você, será que depois que tudo isso passar você poderia me dar umas dicas? umas aulas? Já plantei algumas árvores, já tive dois filhos lindos mas ainda não escrevi um livro, que tal uma ajuda? Um abraço.Malu | 09-03-2004 22:05:31

Zele, tenho mil coisas pra falar sobre o que escreveste. É lindo! Sobre nossas filhas e a memória que elas tem da sua infancia e dos momentos em familia que tiveram…tive a demonstração no niver da Liza de que ela as tem e que são muitas. Ficamos emocionadas vendo os vídeos e relembrando como as coisas aconteciam e a forma como lidavamos com as situações. São lembranças diferentes das nossas e, as vezes, nos parecem menos emocionantes e embolgantes devido ao acesso que elas tem a tecnologia, a informação, etc. Mas…lembranças são lembranças e tudo dependerá de como as vivemos. Obrigada por trazer a tona lembranças tão lindas! Te amo muito. Mana ZeldaZelda | Email | 09-03-2004 20:21:50

Apesar de gostar de saber pelo blog como andas, do ponto de vista médico, prefiro mil vezes a leitura desses dois últimos dias. Como uma saudosista de carteirinha este assunto cai como uma luva. Quero lembrá-los de que trabalho no IAPi e diariamente estou disfrutando das suas belezas, assim como, cuidando de alguns de seus moradores, seja no posto de saúde ou nas suas casas. Caminhar por lá dá uma sensação de cidade pequena, de bairro, de infância. Casas pequenas, muitas plantas plantadas de forma desordenada, daquelas que a gente enterra um calinho e elas nascem sozinhas, árvores frondosas, pessoas com tempo e histórias de vida para contar e ensinar. Coisas que as vezes esquecemos que tem em POA. Tenho algumas fotos do bairro que apresentei em trabalho no último Congresso que participei em Brasília. Fico feliz que tenhas tempo e disponibilidade para pensar em outras coisas que não seja a doença e a cura. Querido vai firme e aproveita este olhar que tá lindo! Te amo.Super beijo.Zelda | 09-03-2004 20:14:12

Iapi do Fugueti Luz, Liverpool, Bicho da Seda e Elis Regina. Até combinei com o Chico Gil de irmos na casa do Fugueti tocar uns Elvis e coisas afins…marlon | Email | 09-03-2004 12:12:10

Putz! Vcs dois me fizeram chorar em pleno trabalho!!!! Concordo com ambos. Bjocas!Lois | 09-03-2004 10:55:42

Putz! Vcs dois me fizeram chorar em pleno trabalho!!!! Concordo com ambos. Bjocas!Lois | 09-03-2004 10:55:41

(continua) o presente para que no futuro possamos lembrar como uma coisa boa. Ás vezes penso se estou dando as minhas filhas boas lembranças como as que tenho de poucos banhos de chuva, mas com qualidade, das brincadeiras de pega-pega na calçada, das casinhas de bonecas, dos natais, dos piquiniques na faxina, das vindas a POA da casa da vó nena e dos tios JN e tantas outras. Será que lembrarão com carinho de nossas casas, das brincadeiras na piscina, da “xícara do vô geia”, do “rio goiaba” e de nós como pais? Enfim espero que lembrem de tudo. Isto é a vida, então vamos vive-la. Faça isto olhe as coisas com outros olhos talvez tudo isto tenha acontecido para aproveitares mais esta vida maravilhaso que Deus nos deu. Tenha um bom dia. abraçao carinhoso. mana zele.zele | 09-03-2004 08:34:33

Enrico Enquanto aguardo a hora para sair de casa, abri o cumputador e dei uma olhada no blog e adorei teu comentario. Concordo contigo, quando falas que nossa memória deveria ser tombada como patrimônio histórico. Tenho tantas lembranças de nossa infância e de pessoas que passaram em minha vida. Quando falaste em IAPI lembrei que quando pequenos vinhamos de férias para POA e íamos visitar o tio C e a tia S que moravam lá. Lembro de subir as escadas e caminhar por aquelas ruelas, as ruas de paralelepipedo, íamos até uma praça para brincarmos, o apto também era muito interessante, a prima filha unica cheia de brinquedos maravilhosos que sonhavamos ter. O tempo passou nunca mais fui ao IAPI e os tios e a prima a muitos anos náo os vejo, agora moram em SP. Enquanto escrevo muitas lembranças me aparecem a minha frente, nossa infância quando brincava que eras meu filho e depois quando afogava teus indiozinhos para que acabasse a brincadeira logo. Olha, mano lembranças sao otimas, mas devemos aproveitar bemzele | 09-03-2004 08:22:39