Irmão Sol, irmão Lua

Posted by in Trópico de Câncer

As noites, já tem algum tempo, são de interrupções. Urina, sede e dificuldade para respirar são os motivos mais comuns. Levanto, faço o que tenho que fazer, deito, durmo, acordo e assim vai. Meu corpo exala e expele química. Até anteontem, domingo, eu ainda tinha a bomba, o cabo e a agulha cravada no peito (portocat) para complicar.

Mas não posso reclamar de tudo. O final de semana também teve almoço em família tanto no sábado quanto no domingo. Apesar de ter acordado prostrado e sem vontade de fazer nada, no sábado Tata foi fundamental para que eu cedesse e acabasse almoçando com Mama, Geisel, Polly, JJ e Zelda. O mesmo papel fez Jaguara, que ligou da casa de JJ no domingo para insistir que eu me deslocasse até lá para mais um fabuloso churrasco do pai.