Bullit

Posted by in Trópico de Câncer

O Marloca lembra que no filme estrelado por Steve McQueen tem uma cena que se passa num bar chamado Enrico’s. Que ironia lembrar disso esta semana, justamente a que antecede a vinda da Stock Car a Porto Alegre (Viamão). O filme, como bem lembra meu amigo de tempos selvagens, tem a cena de perseguição mais famosa do cinema. Tenho que descobrir afinal quem me fará companhia, porque quem me passou o filme e entende do assunto tem compromisso. Se o JJ não fosse tão preguiçoso seria excelente. O Pluto tá com a vida toda encrencada. O Deco, meu sócio, vai dizer “Legal, né, mas….” e como sempre não vai se engajar. No automobilismo não dá para inovar nas relações como no futebol. É a mesma coisa com o câncer. Embora alguém possa pensar que somos da mesma espécie, o momento é de transformação e instabilidade. Quem tem câncer é de outra raça, outra mentalidade, outra emoção, outro (des)controle. Ontem, por exemplo, depois de duas semanas de excitação absoluta – virei um Midas no campo profissional, tudo que toco vira ouro, tiros certeiros, sucesso absoluto! – ruí a ponto de cair de joelhos no chuveiro, um choro destravado, urrado, que apesar do rádio a todo volume, separado por duas portas, TV ligada lá no quarto, ainda assim despertou os instintos de Tata. Ela invadiu o banheiro e chorou junto, caiu ajoelhada do outro lado do box de vidro, eu de costas, meu aquário momentâneo. A saliva ruim, o ouvido surdo, as secreções pelo nariz e garganta, a vida, a morte, o sentido das coisas e algumas dores cobraram seu preço. Isso sem falar num artigo publicado hoje no site da minha empresa, onde um amigo faz um elogio gentil e emocionado. Diz que sou solidário. E eu que pensei que os mineiros só eram solidários no câncer! Quantos ensinamentos…

BLOGGER

Trópico de Câncer
Comentários do post 25631905

querido mano. Aqui estou novamente. Tenho vontade de escrever mas não sei bem o que. Já é tarde, todos dormem. Não tenho sono. Abro o blog depois de alguns dias sem ler. Noto tua euforia, teus momentos de tristeza e acho que agora é a pior fase da espera. Primeiro foi o medo da doença, o desconhecimento, depois a medicaçao, a vontade de vence-la, a superaçao e a gora a espera, a incerteza do resultado… Mas tenha fé vencerás tudo, com paciência, tolerância, aproveitando os bons momentos, os amigos, mas sempre com os pés no chão, não deixe a euforia momentanea acabar com grandes amizades, amores, deixe a energia positiva entrar em voce e reparta com as pessoas não pensando que elas estão te abandonando ou te questionando, receba os questionamentos como um ensinamento. E saiba que as diferenças existem entre as pessoas. Te amamos muito e saiba que embora longe estás sempre em nossas orações e em nossos pensamentos. Boa noite.

zele | 01-05-2004 02:01:10

Mano querido, cá estamos nós outra vez. Ânimo, sei que este fantasma do cancer vai te perseguir sempre que os sintomas reaparecerem! Acho que tanta coisa boa já aconteceu contigo, que meus instintos dizem que vai tudo certo!!!! Só estão te lembrando que ele ainda ronda. De qualquer forma o fato de não estarmos ligando, não significa que não estamos por perto e atentos se precisares de algo. Liga pro JJ que ele poderá se animar e voltar ao circuito da alta velocidade. Estarei com meus dedos e olhos grudados na fase final da dissertação e ele a ver navios com o Fiapo sem mastro. Muitos beijos

Zelda | 28-04-2004 15:17:44

SEM DESÂNIMO. E compreensível que a emotividade te envolva, diante de acontecimentos que te atingiram no âmago do ser. Contudo, procura raciocinar. Lembra – te do amparo de Deus, que te sustentou em outras situações difíces. Recorda as palavras de Jesus, prometendo consolação aos que sofrem. Lembra – te dos amigos espirituais que te guiam e vem sustentando os seus passos, por entre caminhos espinhosos. Equilibra – te na certeza de que o tempo é solucionador natural de todos os problemas que não possa resolver de imediato. Confia em Deus e segue para frente. Amanhã compreenderás melhor as razões das dores,que, hoje padeces incompreensíveis. com carinho,

;Rebeca | Email | 28-04-2004 12:31:52