O dia mais louco – 2a parte

Posted by in Trópico de Câncer

assadoresJanelas para o paraíso: Eram não mais que 11h quando estacionei o carro e começamos a desembarcar as coisas. Em volta da churrasqueira, desde às 9h, estava Geisel, tenso, mas com um sorriso de menino no rosto logo que me viu. Já estavam no fogo as três janelas de costela de gado. Quem não tem entendimento do assunto, pode exercitar a imaginação com meu auxílio.

Acompanhe com atenção e construa na mente algo em torno de oito ossos com 60cm de comprimento e 5cm de largura, levemente envergados, dispostos paralelamente, e enterrados na base de uma manta de carne e gordura de aproximadamente 12 cm de altura, com largura pouco menor do que a compleição dos oito ossos lado a lado. Se cada osso tiver 3cm na separação entre um e outro, teremos uma janela com 67 cm de comprimento e 60cm de largura. Cada um dos três costelões pesava cerca de 12Kg. E o total de tempo no fogo não pode ser inferior a 5h. O resultado é uma carne macia, cozida na gordura, que se desmancha ao deslizar da faca menos afiada.

Controlar tudo isso exige atenção, paciência e muita força. Isto sem falar nos quilos e mais quilos de outras carnes. Havia o atrasado do porco, a sensação do vazio, os corações despedaçados, a lingüiça insinuante do Uruguai (trazida de ônibus por uma tia santanense direto da fronteira), enfim, uma orgia medieval e insana, que faria a festa de pelo menos 43 vikings, fora os comportados e as damas, nem todas preocupadas com a ditadura do corpo protagonizada no século XXI.

carnePor isso, Geisel tinha razão em estar tenso. Nem com mais dois companheiros de brasa, Dode e Cláudio, a coisa foi fácil. A cena dos três virando os costelões com expressão de dor no limite da força é um exemplo da dedicação, cuidado e esmero com que pagaram tributo à arte de preparar um churrasco. E, assim, durante horas e mais horas, das 9h da manhã até pelo menos às 15h, eles atenderam, brava e delicadamente, cada um dos convidados que passavam pelo bufffet de saladas e pelas várias tábuas com carnes, onde cortavam – ao gosto dos fregueses – os pedaços mais nobres e saborosos. Jaz aqui meu primeiro obrigado! Pois foram como heróis, cada um com seu avental, um preto, outro azul, outro vermelho, indumentária do nosso prazer.

 

 

BLOGGER

Trópico de Câncer
Comentários do post 28631478

A carne estava simplesmente deliciosa!! O melhor churrasco que eu já comi na minha vida! hehehe sério! E o senhor que está na foto com avental azul também é muito simpático! beijinho!

Vivi | Email | 09-07-2004 22:43:52

Estava ansioso por esta festa. Desmarquei compromissos importantes pois acreditava que este era o mais importante… Nada me faria não ir a esta festa… Ai chegou minha linda filha, Ana Luiza e por motivos diversos e óbvios tive que ficar fora da cidade neste dia. Caro amigo, o motivo foi forte e foi muito bom ter recebido tua ligação. Teu presente te aguarda. Abraço Forte Cozinheiro

cozinheiro | Email | 04-07-2004 22:22:49

Cheguei aqui através do Anonymous, peço licença para conhecer um pouquinho de quem tem esse cantinho pra contar sua história. Devo dizer que chego com um aperto no coração. Que Deus o abençoe, Enrico. Um abraço forte, tenha uma semana feliz.

Mariazinha_ | Homepage | 04-07-2004 20:37:47

Concordo com zelda quanto ao trio. Agora acho que essa narraçao tá demorada pra burro. Abro o blog todo dia para ver o que vem depois e nada, nada…

zele | 02-07-2004 22:04:20

Conhecendo esses guerreiros medievais, sei o quanto são maravilhosos no que fazem!!!! Sem falar na dedicação, paciência, bom humor e nas patifarias que são ditas durante o longo preparo da orgia gastronômica. Ao trio Gaisel, Dode e Claudio meus cumprimentos e meu eterno agradecimento porque eles realmente merecem!!!!

Zelda | 02-07-2004 17:59:36