Brinde

Posted by in Trópico de Câncer

Vai fazer um mês dia 29. Vai fazer um mês que não vejo minha mãe. Pérai, não pára de ler. Não é tão simples assim. Nem tão terrível também. Em todo caso, velhos amigos, tenho de contar. Afinal de contas, faz um mês. É claro que tudo foi mais fácil do que eu imaginava. Porque, bem, vou confessar. Ficava um bom tempo até sem ver Mamma. Usávamos o telefone como recurso mais freqüente. Só que hoje eu procurava alguém com a letra M… E lá estava o nome mae, escrito assim sem assento no meu celular. Deu vontade de ligar, uma ação tão sem sentido quanto mandar um e-mail para Cássia Eller no dia em que ela morreu… Bom, mas aí, agora de noite, Tata chega com fotos reveladas que haviamos esquecido na máquina fotográfica por causa da novidade da outra, a digital. Pois é, então, foi isso. Lá estava ela no seu aniversário, com todos nós em volta, todo mundo sorrindo, pouco menos de um mês antes da sua partida. Tem até uma comigo abraçadão e tal. Lembro que ela ainda me disse: “Nós, os batalhadores…”. Foi assim… Foi assim que lamentei e me dei conta mais uma vez da sua ausência definitiva, definida, deflagrada há exatamente um mês, quando chegar o dia 29. Daí vai fazer um mês. Sim, um mês. Que saudade. Brindo desde já com lágrimas.

BLOGGER

Trópico de Câncer
Comentários do post 38490954

Val, este será o primeiro dia das mães que passaremos todos juntos sem nossa querida Mãe. Meus irmãos e nosso pai foram hoje ao cemitério visitá-la. Por ter viajado para felicitar minha sogra não fui junto, mas estive com eles em pensamento. Quando voltei para casa senti uma saudade imensa. Fiquei por uma meia hora imóvel sentada na minha cama pensando nela e nas coisas lindas que vivemos juntas. Sei que está conosco de alguma forma. Amanhã cedo penso em ir visitá-la. Depois nossas filhas seguirão a tradição de oferecerem um almoço para as suas mães. Será a primeira vez que farão isso. Bem … é assim que a vida continua pelas futuras gerações e eu acho isso lindo! Um grande abraço pra ti. Fique bem!

Zelda | 13-05-2006 20:59:17

Domingo será o Dia das Màes… E a minha querida mamae também se foi… Dia 20 ela iria fazer 58 anos e neste dia faz 6 meses que estou sem ela… Sinto saudades… Muita… Dói no coração e essa dor se tranforma em lágrimas… Mas o que me conforta é saber que Jesus está cuidando dela, e hoje ela não sofre mais… Sinto saudades… Principalmente nesta época, onde o assunto é MÃE!!!! Eu a amo muito e sempre amarei…

Val | 12-05-2006 22:05:18

Ei!!! Estou com saudade. Bj.

Zelda | 11-05-2006 19:39:45

Caro Enrico. Favor publicar notícias. Sinto tua falta. Beijo. Claude.

Claude | Email | 09-05-2006 19:06:57

Estou esperando o resto da história… beijos. até amanhã.

zele | 29-04-2006 23:43:49

As vezes ficava me perguntando porque chorei pouco ou quase nada depois da partida da mamma. Quando arrumamos suas coisas não chorei. Não sentia dor e sim um certo orgulho de poder juntar com carinho as coisas de algém que amo e amei tanto. Sempre senti a mãe muito proxima de nós, mesmo depois de sua partida. Até agora não preciso fechar os olhos para ver o seu rosto sorrindo e ouvir a sua voz. Pensava que tudo isso estava acontecendo porque sentia um certo alívio de não precisar vê-la sofrendo. Falava nela como se ainda estivesse viva, mas longe da gente, como nos últimos tempos que não dividia mais a mesa farta conosco, mas estava presente por perto. Pensava que quando esta fase passasse viria uma saudade imensa. Domingo comecei a sentir sua falta e doeu muito. Quase todos os fins de tarde quando vejo o por-do sol lembro dela, do chimarrão, de falarmos ao telefone, de ir para o hospital. Parece incrível que a mamma não está mais aqui. Mas trago ela comigo sempre e espero que ela venha me visitar em sonhos.

Zelda | 26-04-2006 22:08:12

Dizer que é difícil a ausência, pior a saudade, aquela coisa martelante de “não ver e não falr nuuuuuuuunca mais…” Às vezes funciona assim: parece que não aconteceu nada, parece que foi tudo há tanto tempo. Mas aconteceu, se foi. Dói, mas uma dor amorosa, mas muito doída.

Ritinha | 26-04-2006 19:23:19

Imensa ausência. Não percam a certeza de que se esse amor pulsa tão forte em vocês, ela o recebe e fica cada vez melhor. Aos poucos, é preciso tentar fazer vibrar só o amor, que não precisa comportar sofrimento, já que é preciso aceitar a presença que fica, sem a concretude do convívio. Enrico, firmeza na quimio! Reforço nas defesas.Abraços. Claude.

Claude | 25-04-2006 22:56:58

Mano querido!Meu pensamento tem estado voltado pra ti.Hoje me senti muito culpado por náo ter feito o convite pra janta.Foi tudo táo rápido, o pai a zelda pegando Poli na PUC, enfim.O pai comentou que hoje era dia de quimio, pensei no convite mas logo e se ligar e nao puder vir?Vai ficar chateado! E pior ficaste assim mesmo.Quanto a falta da mãe, também tenho pensado muito nela, nos seus ultimos dias, nas nossas conversas… e quando penso que náo vou ouvir mais sua voz, ter seu carinho, seus conselhos, fico desesperada. Hoje estou assim. Um vazio imenso, chego em casa e parece que falta algo, aí lembro era o horário da visita na sua casa e ultimamente no hospital.Mas ao mesmo tempo quando penso que os ultimos 4 meses foram só sofrimento, penso que estou sendo egoísta. Ela com certeza está melhor do que aqui. Um amigo espirita me disse hoje. Zele, sua mãe está melhor do que você pensa. Ela está muito bem. Fique bem que ela ficará melhor. É o meu consolo e deverá ser o nosso. Que ela esteja bem.

zele | 25-04-2006 22:51:50