Faltou contar

Posted by in Trópico de Câncer

Na sexta-feira passada, fui na Clínica apenas para tirar a bomba de Flouracyl. Abracei Sheila e depois Carla. E aí a emoção veio. Saí chorando pelos corredores. Deixei o prédio assim. Dirigi na companhia de Tata até em casa aos prantos. Acabou, pensei. De lá para cá tive dias de instabilidade emocional. O peito está cheio. Não é ar, não é líquido, não é sólido. É angústia, ansiedade. Gritar, chorar, expirar parecem ser a única solução. Adotei as duas últimas e algumas pílulas. A noite é sempre limítrofe. Fantasmas, lembranças……read more