Tempo

Posted by in Trópico de Câncer

Os dias têm passado lentos, ligeiros, rápidos, vagarosos…. Tenho tido dores bem ruins durante o incio da noite até por volta das 24h. Precisei chamar a Unimed SOS algumas vezes para aplicarem Dolantina. Em geral, funciona.

Mas, no final de semana, minha querida Polly passou em nossa companhia. Rimos muito, conversamos bastante, especialmente Tata e ela, que fizeram um revival da adolescência muito legal de ouvir, imaginem participar. Alto nível.

Depois de uma deprê violenta – não registrada aqui a meu gosto – resolvi, em desespero, cumprir a promessa feita para Tata: que iria a uma psicologa.Senti em determinado momento que não tinha mais condições, não tinha força – nem física, nem psicológica – para continuar a batalha. Fui na semana retrasada: nota 03! semana passada: nota 06! .

Em meio às conversas com Tata sobre a vinda de Polly tive uma luz ontem. O dfícil está sendo esquecer que a batalha na verdade terminou. O câncer não é mais um alvo, mas um novo parceiro, a quem devo me irmanar em busca de qualidade de vida e longevidade. É notável, entretanto, a dificuldade que tenho para realizar a tarefa depois de três anos de guerra declarada, pública, sangrenta, um inimigo, enfim, tão traiçoeiro e cruel.. Vamos ver no que vai dar

BLOGGER

Trópico de Câncer
Comentários do post 39107484

Achei um forum bem interessante sobre saude, e nele tem uma area so para assuntos voltados ao cancer. Muito bom, curti bastante, um lugar bom p/ fazer perguntas e dar respostas para pessoas com cancer. o nome do site eh eu paciente ( eupaciente ) o link sobre cancer eh http://eupaciente.com/viewforum.php?f=21

flavia | Email | Homepage | 22-11-2011 16:34:36

É a Luisa denovo. Achei super legal o nome do teu blog. Isto porque li Tropico de Câncer de Henry Miller e achei maravilhoso. Quando estava na faculdade de Comunicação escrevi uma rádio peça sobre um cara que ia ao psiquiatra apenas para desabafar sobre a sua vida. Quando a consulta acabou, ele foi embora e nunca mais voltou. O psiquiatra comentou que ele era um cidadão comum, mais uma pessoa à beira do abismo. Então o médico comenta que a vida é um imenso matadouro. Morremos de várias formas: de câncer, de monotonia, de tristeza, de desilusão, de cansaço, de amor, de consumismo, de esganação, de anorexia, de prazer, de susto, de indigestão, de tédio, de ódio, de inveja, de muitas e muitas formas. Importa é por que vivemos. Porque a morte é uma certeza, mas a vida, em qualquer condição que seja, é a verdadeira aventura. É importante sermos como um girassol absorvendo toda a luz, toda a energia positiva que este sol tem pra nos dar. E o grande sol é a vida, é a benção maior que não podemos ignorar. Sunshine.

luisa | Email | 22-10-2006 14:41:09

Olá, Enrico! Prazer em conhecer!!!Meu nome é Luisa e tive o prazer de conversar com a Claude neste dia 18 de outubro. Ela me falou de ti, por isto estou aqui escrevendo no teu blog. Também sou jornalista, mas não muito entusiasmada pela profissão. Esta é uma atividade que envolve muito jogo de poder, muita mentira…não me atrai tanto assim. Fiz jornalismo porque fui ingênua. Li As Veias Abertas da América Latina e imaginei que poderia salvar o mundo das injustiças e desigualdades. Doce ilusão. Jornalismo é uma vitrine, não passa de uma vitrine. Mas adoro comunicação. Relações humanas, interpessoais então…nem se fala. Adoro isto. As pessoas comuns se expressando são o meu sonho de consumo. Não sei exatamente o que tu fazes. Teu blog é imenso, não deu pra ler tudo. Só posso dizer que te desejo sucesso, que espero que consigas administrar a tua dose de sofrimento e encontrar a paz rumo à felicidade, à serenidade. Sim, à serenidade, porque ela é a verdadeira e única felicidade. Um abraço, Luisa.

luisa | Email | 22-10-2006 14:29:52

Pois é… peguei o ‘rastro’ da estadia da Polly na residência… de algum jeito os caminhos entrelaçados… Enrico, amei ter conseguido romper com minha agenda tão atrapalhada nos últimos tempos para estar um pouco com vocês e conhecer a Bebein. Ela é o máximo!!!! Quero te ver mais. Poder conversar um tanto mais com a Tata também. Talvez não pareça ao teu olhar, mas estás caminhando bem, com a consciência de que lutar nem sempre é cerrar os punhos e lançar-se no espaço contra alguma coisa. Pode ser bem mais complicado… dominar-se e tentar equilibrar as coisas sem movimentos drásticos. Grande beijo, muito carinho pra vcs três. Claude.

Claude | 18-10-2006 10:53:27

Meu querido Enrico. Fico feliz em ver que estas bem depois de tanta luta. Ouvir a tua voz feliz e entusiasmada, ontem ao telefone, fez-me lembrar os tempos que nada nos assustava tanto quanto agora. Acho que as terapias formais e informais desta última semana ajudaram muito para essa transformação. Polly também cresceu muito no fim de semana. Amo voces dois.

Zelda | 17-10-2006 15:44:34

FELIZMENTE esse feriadão demorou séculos para terminar… Passar esse tão esperado tempo no Cristal, longe dos meus dramas adolescentes, foi muito bom pra mim! Entre filmes, risadas, um diário, muita comida e fungadas de Bebein, me diverti um monte e sei que guardarei esses momentos para sempre na minha memória. Em algum momento da tarde de domingo, o Enrico olhou pra mim e disse: “Eu tive um pouco de influência na tua escolha por jornalismo, não?”. Responder essa pergunta já valeu por todo o fim-de-semana…

Polly | 16-10-2006 21:45:18