Gilnei Quintana Marques

De volta à rádio

Posted by in Trópico de Câncer

Quem lê assim pela primeira vez vai pensar que eu sou radialista. Mas para o bem da verdade confesso: sou sim, por que? Nunca me ouviu? Bem, a Ritinha já. E uma vez minha voz foi reconhecida num bar em plena Cidade Baixa, porque eu dei um tchau igual ao que eu dava na Ipanema FM, num programete de 2min sobre Informática. Isto sem falar que fiz um curso na Feplan, que me garante por certificação atuar pelo Brasil inteiro como radialista. Te mete! Feita a introdução desnecessária, retomei a…read more

0

Notaram?

Posted by in Trópico de Câncer

Notaram ou não? Ah… tenho certeza de que os leitores de coração frágil para romances, ah, esses notaram. Como não notariam? Não é nada demais, mas é uma demonstração de amor incontestável, até porque foi feito assim… como dizer… instintivamente! Com base na realidade, na verdade mais verdadeira, aquela que se dá em momentos difíceis, aparentemente sem solução. Eu tenho feito com frequência. Mais ainda recentemente. Quero ver quem acerta, descobre, grifa essa declaração de amor linda e tão bela, poética… BLOGGER Trópico de Câncer Comentários do post 38722877 Enrico,…read more

0

Morfina

Posted by in Trópico de Câncer

O que dizer dela. Legal, tira dor. Provoca problemas colaterais com o tempo. Tem o charme das drogas antigas, de escritores dentre outras personalidades da história mundial que eram viciadões. Já eu… comprovei que nem sempre tira a dor, que pra tirar tem de elevar a niveis perigosos para o coração. E que de charme, gurizada: NADA! Nem baratinho dá. Enfim, conforme posto no post anterior, procuramos insistentemente por telefone e pela secretárias o nosso ex-querido médico da dor. Depois de uma semana sofrendo que nem bicho, adotamos a tática…read more

0

Boletim de ocorrências

Posted by in Trópico de Câncer

Perdõem o silêncio. Primeiramente foi por dificuldade para escrever qualquer coisa em nível pessoal. A concentração para tanto estava sendo consumida pelos textos profissionais. Um tempo depois, foi agregado a tal impedimento o maior de todos os fatores: dor. Nos arcos costais, principalmente. depois de raios x, os médicos acreditam que possa ter havido uma progressão. Daí, para tirar a dor, morfina! Por enquanto, mas o caminho deverá ser rádio, assim eliminamos a dor ao matar a metástase. Estamos todos péssimos. A impressão é de que estou sendo comido vivo….read more

0

A culpa foi nossa

Posted by in Trópico de Câncer

Não sei mais o que fazer a respeito. Se chegamos na hora, esperamos em média 45 minutos para sermos atendidos. Hoje nos atrasamos 5min para a consulta com o fisiatra. Adivinhe o que fizemos depois de esperar 30min. Pois bem, reclamamos. E soubemos, então, que por termos nos atrasado seríamos os últimos a serem atendidos! Bollocks! Quando finalmente encontramos um consultório que aparentemente preocupa-se em atender no horário, a punição é passar horas e horas a mais lendo revistas mais atrasadas ainda? Demos uma de loucos e fomos embora. “Ofereça…read more

0

Boletim

Posted by in Trópico de Câncer

O que dizer. Estou com uma maldita infecção pulmonar. Por isso foi feita uma coleta de material no pulmão para que pudessemos, através de exames dos mais variados, “alguns em cultura”, atacar as bactérias e/ou fungos com o antibiótico certo, específico para vencer aqueles bichinhos lá. As placas, depois feridas que tive na boca já sumiram. Um exame de checagem já foi feito também e a mancha diminuiu. Por outro lado, eu ainda não estou livre de suadores e febres, especialmente durante as madrugadas. Ou seja, cá estou eu de…read more

0

Visitas

Posted by in Trópico de Câncer

Estou com um novo ciclo de medicações. A idéia é substituir a morfina pela metadona. Embora a morfina tivesse lá seu charme decadente, tava ficando chato se espetar de quatro em quatro horas. Um novo remédio também entrou na parada (atualizo aqui em breve para eventuais colegas de tumor). O resultado é que estou sem dor, até agora não tive nem meia crise sequer, então, creio que a coisa toda funcionou acima do esperado. Pelo menos acima do que eu e Tata esperávamos. Algumas coisas estranhas, entretanto, começaram a acontecer….read more

0

As filhas da mãe

Posted by in Trópico de Câncer

As Filhas da Mãe deram um show no domingo em que as estrelas era suas mamães. Que maldade carinhosa, não? Eu, q nao tinha nada com isso baixei a cabeça. Baixei a cabeça para me deliciar com aquele showzinho particular que todos nós curtimos. Baixei também para fechar os olhos, fechar os olhos e sentir todinhos, todinhos os sabores que ali estavam disponíveis, disponíveis para os meus sentidos, todos os meus sentidos, minhas glândulas e deixa pra lá o sei lá mais o que q possa ter sido aquilo tudo. E também para comer,…read more

0

Concentrado

Posted by in Trópico de Câncer

Estamos concentrados no meu pulmão. Há uma infecção por bactérias já comprovada. Ingiro uma boa quantidade de antibióticos desde então. Meu apetite baixou entre outras conseqüências por cândida na boca, na garganta. Não tenho tosse. Alguma febre eventual, mas sempre alta, altíssima. Todos os sintomas remetem para fungos. Mas eles não foram encontrados numa broncofibroscopia. Por essas e outras talvez seja necessária uma biopsia. Mais anestesia, o que não deixa de ser uma boa notícia. Quando penso na morte, penso em algo como a anestesia geral. No meio de uma…read more

0

Brinde

Posted by in Trópico de Câncer

Vai fazer um mês dia 29. Vai fazer um mês que não vejo minha mãe. Pérai, não pára de ler. Não é tão simples assim. Nem tão terrível também. Em todo caso, velhos amigos, tenho de contar. Afinal de contas, faz um mês. É claro que tudo foi mais fácil do que eu imaginava. Porque, bem, vou confessar. Ficava um bom tempo até sem ver Mamma. Usávamos o telefone como recurso mais freqüente. Só que hoje eu procurava alguém com a letra M… E lá estava o nome mae, escrito…read more

0